Em Mineiros (GO), produtores iniciam colheita da soja com perspectiva favorável para essa temporada

Em Mineiros (GO), produtores iniciam colheita da soja com perspectiva favorável para essa temporada

Chuvas contribuíram para o desenvolvimento das plantações na região. Expectativa é de produtividade média próxima de 64 scs/ha. Preços giram ao redor de R$ 60,00 a saca e deixa margem ajustada. No milho, produtores deverão investir em cultivares precoces devido ao atraso na semeadura da soja. Saca do cereal é cotada a R$ 20,00 na localidade.

 

Os produtores rurais deram início à colheita da soja na região de Mineiros/GO. Por enquanto, as expectativas de produtividade estão acima da média, em torno de 64 sacas do grão por hectares. Apesar desse cenário, os agricultores estão preocupados com a janela ideal da safrinha de milho, já que no ínicio da temperatura teve um atraso de 15 dias no plantio das oleaginosas.

Na visão do presidente do Sindicato Rural do município, Ionaldo Morais Vilela, o clima contribuiu para o desenvolvimento das plantas. “No começo teve a falta de chuvas, mas quando iniciou o plantio o clima colaborou com chuvas expressivas e com boa luminosidade, como a cultura necessita”, destaca.

 

Comercialização

Na localidade, as negociações futuras estão entre R$ 60,00 a saca da soja. O presidente sinaliza que, os valores nestes patamares deixam margens ajustadas aos agricultores. Em contrapartida, as negociações para o milho giram em torno de R$ 19,00 a R$ 20,00 a saca, na qual o produtor fica preocupado, uma vez que compromete a rentabilidade.

Milho Safrinha

Diante do atraso no plantio da soja, a expectativa inicial é encerrar a colheita da soja até o mês de fevereiro. Com isso, a janela ideal para o cultivo de milho safrinha ficará comprometida e vai afetar a produtividade da cultura.  

“Geralmente, os produtores compram os insumos para a safrinha em setembro e pelo o fato de já ter feito o compromisso, eu  acredito que não terá redução de área. O que pode ser feito, é plantar o milho mais precoce e utilizar uma tecnologia mais em conta para diminuir os custos de produção”, finaliza Vilela.